ATUALIZAÇÃO PATRIMONIAL JUNHO/2024

Septuagésima sétima atualização patrimonial do blog. A primeira metade do ano - a que costuma me dar mais dinheiro - já foi.


PATRIMÔNIO

JUNHO/2024:

Conta Corrente.......R$ 30.051,14

Poupança............R$ 106.739,32

Fundos..............R$ 263.683,91

Renda Fixa..........R$ 355.838,25

Previdência.........R$ 578.703,98

Renda Variável.......R$ 33.790,53

Internacional........R$ 52.383,85

PATR. FINANCEIRO..R$ 1.421.190,46

Imóvel (estimado)...R$ 515.000,00

PATR. TOTAL.......R$ 1.936.190,46

A rentabilidade mensal, mais uma vez, foi péssima. O patrimônio cresceu significativamente apenas graças ao recebimento de recursos eventuais, inclusive a restituição de imposto de renda. Preciso rever minhas aplicações com urgência, especialmente os fundos que estão há tempos com rentabilidade negativa. Se as coisas não desandarem, ainda é bastante provável alcançar o patrimônio total de 2 milhões ao final do ano.


INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Estou em 65,30% da meta de independência financeira. Uma recuperação em relação à queda do mês anterior e um novo máximo. Dado o meu histórico de despesas, é provável que no próximo mês volte a cair um pouco e vá se recuperando até o final do ano. Minha expectativa era fechar 2024 em 70% da meta e ainda acho possível, mas pouco provável em razão dos gastos esperados para os próximos meses.

Comentários

  1. Dois motivos:

    1- Reserva de urgência (e não simplesmente de emergência). Se o gasto for realmente urgente, esse é o dinheiro que eu tenho praticamente na mão com uma liquidez que nem o Tesouro Selic oferece (aliás, já acompanhou qtas vezes o Tesouro Direto sai do ar?). Há alguns anos, antes do blog existir, um problema de saúde na família que envolveu necessidade de deslocamento me fez ter um gasto inesperado de quase 30 mil reais do dia para a noite. Minha reserva era menor e eu tive que estourar o limite do cartão de crédito e emitir um cheque sem fundos (hoje, dificilmente ele seria aceito, mas na época contei com certa boa vontade da pessoa). Provavelmente a parcela de urgência dentro da reserva de emergência deva ser pequena, mas esse meu histórico particular me deixou escaldado e me fez adotar o limite mínimo de 30 mil (depois, atualizado para 40 mil) em poupança.

    2- Reserva de oportunidade. Quando não sei o que fazer com o dinheiro, não tenho tempo para avaliar alocações ou estou esperando a definição de alguma situação específica, o dinheiro fica na poupança. Surgiu, nos últimos meses, uma "oportunidade" de investimento como sócio em uma empresa, no valor aproximado de 50 mil. Entre aspas porque envolve pessoas da família, o que costuma não ser muito auspicioso para os negócios. O negócio não tem ido para frente, mas as minhas aplicações financeiras também estão sofrendo, e assim o dinheiro foi ficando.

    Em resumo, estou com muito dinheiro em poupança por um misto de covardia de diminuir a liquidez e negligência com minha vida financeira.

    ResponderExcluir

Postar um comentário